Grupo @HORA de Comunicação - Rádio @HORA
São Bernardo recebe nova operação da PF, desta vez em gráficas da chapa Dilma-Temer
ABCD
 

São Bernardo recebe nova operação da PF, desta vez em gráficas da chapa Dilma-Temer
Da Redação . - 27/12/2016
 
A Polícia Federal, PF, voltou a realizar operação em São Bernardo do Campo, desta vez para avaliar a capacidade de empresas que foram subcontratadas por gráficas para a realização de serviços durante a campanha de 2014 para a chapa Dilma, PT, e Temer, PMDB

A Polícia Federal, PF, voltou a realizar operação em São Bernardo do Campo, desta vez para avaliar a capacidade de empresas que foram subcontratadas por gráficas para a realização de serviços durante a campanha de 2014 para a chapa Dilma, PT, e Temer, PMDB.

A Focal, gráfica localizada no bairro dos Casa, chegou a receber cerca de R$ 24 milhões na campanha de 2014. A gráfica já foi alvo da Operação Lava Jato.

A Focal foi a segunda maior fornecedora da campanha de Dilma/Temer em 2014 e seu proprietário, Carlos Roberto Cortegoso, é investigado pela PF e pelo MPF na Operação Custo Brasil, além de ser réu em ação, na esfera federal, por suposta ocultação de propinas. Laudo pericial contábil do TSE daria conta de que a Focal teria recebido R$ 3,2 milhões de maneira irregular da campanha petista de 2014, odendo ter sido utilizada para eventual desvio de recursos eleitorais naquela campanha eleitoral.

O relator do processo no TSE, AIJE-1943-58, autorizou a ação da PF ocorrida na manhã desta terça-feira, 27, na cidade onde reside o ex-presidente lula. O processo que tramita no TSE poderá levar à cassação da chapa de Dilma/Temer. Outras gráficas subcontratadas pelas Red Seg Gráfica e Gráfica VTPB, também estão na mira da PF.

O ministro Herman Benjamin, relator do processo no TSE, recebeu na semana passada, laudo pericial desenvolvido pela força-tarefa da PF, Receita e Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) que foi criada para analisar as contas de campanha da chapa petista em 2014.

No laudo, com 80 páginas, os peritos que participaram da confecção do documento, apontaram indícios de desvio de finalidade nos recursos recebidos pela chapa Dilma/Temer.

O Ministério Público Eleitoral, MPE, ao analisar o relatório, também apontou que haveria "fortes traços de fraude e desvio de recursos" da campanha. O ministro Herman Benjamin, com base no relatório e parecer, determinou, no último dia 16, prazo de cinco dias para que as partes envolvidas no caso se manifestassem no processo.

As diligências são realizadas em, aproximadamente, 20 locais de três Estados brasileiros (Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina). De acordo com a decisão do ministro, o trabalho da PF deve se ater às questões eleitorais. Cinquenta agentes da Polícia Federal trabalham sob a coordenação de analistas do TSE.

O ministro Herman Benjamin também decretou a quebra do sigilo fiscal de cerca de 15 pessoas físicas e jurídicas, cujos nomes não serão divulgados por questão de sigilo.


Confira aqui a integra da decisão

Acompanhe o processo no TSE


Os "fortes traços de fraude e desvio de recursos" na campanha levaram à Operação da PF ocorrida hoje, 27, em São Bernardo do Campo, porém, não ocorreram prisões.


Ação de Investigação Judicial Eleitoral nº 1943-58

Acesse os documentos referentes à AIJE nº 1943-58, na qual se discute a prática de abuso de poder político e econômico em benefício dos candidatos à Presidência e à Vice-Presidência da República pela coligação Com a Força do Povo nas eleições de 2014.

O objetivo é dar plena transparência à ação, que tramita no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), atendendo-se, assim, ao princípio da publicidade dos atos jurisdicionais e, também, aos pressupostos democráticos que regem a atuação institucional da Justiça Eleitoral.

O processo contém mais de dez volumes, com 300 folhas cada, em média.

Confira a íntegra dos documentos.

Todos os arquivos estão em formato PDF.

 




Veja os Links

Copyright © 2016 - Grupo @HORA ® de Comunicação - Todos os Direitos Reservados